Home Página Inicial > Notícias > DIREÇÃO DA TRENSURB E COMANDO GERAL DA BRIGADA MILITAR DISCUTEM AÇÕES PARA COIBIR FURTOS DE CABOS

DIREÇÃO DA TRENSURB E COMANDO GERAL DA BRIGADA MILITAR DISCUTEM AÇÕES PARA COIBIR FURTOS DE CABOS

25.08.2021

Nova reunião na tarde desta quarta-feira (25) contou com troca de informações e abordou a integração institucional para prevenir ocorrências que afetam o funcionamento do metrô.

Na tarde desta quarta-feira (25), a Direção da Trensurb recebeu os majores Rodrigo Aro e Marta de Oliveira, assessores do Comando Geral da Brigada Militar. A reunião teve como pauta as ocorrências de furto de cabos que têm afetado o funcionamento do metrô, contando com troca de informações e abordando também a integração institucional necessária para a prevenção de novos delitos. Foi o terceiro compromisso da semana com órgãos de segurança pública para tratar do tema, após reuniões com a Polícia Federal na segunda-feira e com o Comando de Policiamento Metropolitano da Brigada Militar na terça-feira. “O essencial nesses encontros é que consigamos coordenar, ajustar e azeitar as ações conjuntas. É isso que pode promover um aumento na eficiência e, principalmente, eficácia das ações institucionais coordenadas”, afirma o diretor-presidente da Trensurb, Pedro Bisch Neto.
 
Segundo o major Aro, “a Brigada Militar é uma instituição que está sempre preocupada com as questões da ordem pública, dos problemas que afetam a comunidade, não apenas no viés criminal, mas também na rotina dos cidadãos”. Por isso, ele afirma: “Percebendo que a Trensurb está vivendo algumas dificuldades relacionadas à questão da prestação de serviço ao usuário do transporte, fruto de ações de indivíduos que furtam material e cabos de energia, nós já estamos desenvolvendo um trabalho conjunto com a empresa, seja pelo Comando de Porto Alegre, pelo Comando Metropolitano e seja também pelo do Vale do Sinos, para poder apoiar a empresa nas suas necessidades, de modo que ela possa montar sua estrutura de segurança”. Ele também destaca a importância dessa parceria para que se possa, “diante das ações que ocorrem de interrupção de serviço, fazer a intervenção mais rápida e que ele possa ser restabelecido rapidamente para que tenha um menor prejuízo para a comunidade”.
 
O diretor de Operações da Trensurb, Luis Eduardo Fidell ressalta a importância do trabalho integrado com os órgãos de segurança pública, incluindo a Brigada Militar. “Temos contato direto com o alto comando dos seis municípios por onde passa o trem”, destaca. O diretor relata ainda que a Trensurb está trabalhando na contenção do perímetro da via, incluindo a instalação de concertina e tela, e no fechamento das canaletas por onde passam os cabos visados pelos criminosos.
 
Prejuízo financeiro e operacional
 
Nos últimos meses, a operação da Trensurb tem sido afetada por recorrentes casos de furtos de cabos de energia e sinalização. Conforme Fidell, trata-se de um problema que costuma se intensificar em períodos de crise econômica e que tem sido enfrentado por operadores metroferroviários de todo o país – além de equipamentos de iluminação pública, que também são afetados pelos furtos de fios de cobre. Desde o início do ano até 15 de agosto, foram registradas 59 ocorrências de furtos de cabos da Trensurb, além de 17 situações em que a segurança metroviária e órgãos de segurança pública conseguiram impedir a atuação de suspeitos. Em todo o ano de 2020, haviam sido 21 casos de furto de cabos – e quatro ocorrências impedidas. Somente em 2021, o prejuízo financeiro com furto e danos a cabos e equipamentos de sinalização e energia chega aos R$ 420 mil – considerando-se o custo de reposição e da mão de obra necessária.
 
Há ainda um impacto operacional significativo, que pode causar atrasos ou até interrupção no serviço dos trens. É o sistema de sinalização que garante a segurança no metrô, impedindo que os trens se aproximem uns dos outros e que ultrapassem a velocidade máxima de cada trecho. Por isso, com esse sistema avariado ou inoperante, prezando sempre pela segurança dos usuários, a Trensurb opera com velocidade reduzida nos trechos afetados, impactando o tempo de viagem e até mesmo os intervalos entre as partidas das composições.
 
Foto: Gabrielli Zanfran/Trensurb

Compartilhe     

OUTRAS NOTÍCIAS
12345de 531paginas_noticias_detalhes.php?codigo_sitemap=5870&sitemapPage=2

Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A. | Av. Ernesto Neugebauer 1985, - Humaitá - Porto Alegre - RS - Brasil - CEP 90250-140 | Fone: +55 51 3363 8000